Vaga para Conselheiro Leigo (m/f)

Ticker

6/recent/ticker-posts

Vaga para Conselheiro Leigo (m/f)

Vaga para Conselheiro Leigo (m/f)

 A Fundação Ariel Glaser está a recrutar um Conselheiro Leigo (m/f), para Mueda, em Moçambique.

Descrição
  • O Conselheiro Leigo é responsável por realizar actividades de aconselhamento e testagem em saúde, bem como de educação em saúde para os utentes e familiares nas brigadas móveis integradas de saúde durante a oferta de diversos serviços: Aconselhamento e educação para os doentes crónicos, (TB, HIV - ATS & TARV/Adesão, IO, Diabetes, Hipertensão), Saúde Sexual e Reprodutiva, Saúde Infantil e do Adolescente, Saneamento do Meio, seguimento e gestão dos GAAC, violência baseada no gênero etc. a fim de encorajar a prevenção e/ou correcto seguimento do tratamento destas doenças, garantindo um ciclo de cuidados contínuos em saúde da população no geral e também nas sub-populações prioritárias e com baixo acesso a serviços de saúde como os deslocados internos
Funções
Aconselhamento e Testagem em Saúde (ATS)
  • Garantir que tenha todo material necessário para o ATS na tenda de ATS antes de iniciar a actividade (Verificar a existencias de POPs, directrizes de ATS/PC, Cronómetro funcional testes luvas etc.)
  • Realizar palestras inicial/informativa sobre aspectos gerais de saúde (ITS, tuberculose, malária, diabetes, hipertensão arterial, cancros, violência baseada no género, circuncisão masculina, saúde sexual e reprodutiva e HIV/SIDA, etc.)
  • Aconselhamento para a testagem em HIV, pré e pós-teste aos utentes voluntários
  • Rastreio a todos os pacientes que recebem o ATS de modo a identificar a População Chave (PC), usando o guião de rastreio de MISAU
  • Rastrear os contactos em todos pacientes testados positivos e convidá-los para a testagem usando os documentos preconizados para esta actividade
  • Monitoria de pacientes que fazem parte de grupos prioritários para a testagem regularmente (PC, contactos de pacientes positivos testados negativos)
  • Realizar chamadas de apoio para todos os pacientes com contactos, com o objectivo de reforçar a testagem dos mesmos (geralmente 3 dias antes da data acordada para a testagem)
  • Realizar despiste de Tuberculose e ITS, referenciando para o clínico os casos suspeitos para devido seguimento
  • A oferta de Cartão do utente da UATS a todas pessoas com resultado de HIV negativo e com necessidade de testagem a posterior. No cartão deve estar registada a data da próxima testagem
  • Referência para os serviços de CPN a todas mulheres grávidas de modo a receberem o ATS, bem como o seguimento da gravidez
  • Referência de todas as crianças expostas ao HIV para o sector de CCR, de modo a realizar o ATS, e seguimento
  • Rastreio de cartões de saúde das crianças no PAV e CCS para identificar as crianças com critérios para testar e refiri-las a testagem
Aconselhamento de adesão e retenção aos C&T para adultos e crianças
  • Acolhimento inicial. Abertura de processo clínico a crianças e adultos incluindo grávidas e lactantes
  • Realizar aconselhamento a pacientes que iniciaram TARV (sessões pré-TARV)
  • Realizar aconselhamento a pacientes que apresentam risco de baixa adesão no contexto clínico considerando o perfil de abandonos de cada provincia
  • Preencher ficha de seguimento de aconselhamento, reportando informações relevantes quanto ao seguimento psicossocial de cada paciente
  • Identificar crianças e adolescentes para revelação do sero estado e em conjunto com o TMG ou o psicólogo/clínico da brigada móvel proceder a revelação diagnóstica
  • Aconselhamento de sensibilização para a Prevenção Positiva
Educação para saúde
  • Incentivar a formação de grupos de apoio a pacientes com doenças crónicas na comunidade Educação sobre várias doenças endémicas/sazonais características de cada região/zona; realizar palestras educativas, sensibilizando utentes a cerca de mensagens de promoção de saúde
  • Educação para promoção de bons hábitos de higiene e segurança alimentar
  • Participar em actividades de capacitação dos grupos comunitários na comunidade, comunicando mensagens de promoção de saúde, redução do estigma/discriminação, etc.
Gestão e seguimento dos GAAC
  • Apoiar equipe clínica na sensibilização dos pacientes com critérios para inclusão no GAAC
  • Aconselhar o paciente sobre as vantagens de inclusão no GAAC e necessidade de seguimento de adesão
  • Receber os membros do GAAC e avaliar adesão ao TARV de forma individual e grupal
  • Participar no processo de capacitação dos pontos focais dos grupos para disseminação de mensagens correctas de adesão
  • Participar do processo de supervisão periódica nos encontros dos grupos, para avaliação da responsabilização existente no grupo e componentes de auto-ajuda
Seguimento dos Pacientes em TARV e Gestão dos ARVs na Farmácia
  • Registar o levantamento de ARVs na FILA com recurso as receitas médicas
  • Gerir o ficheiro móvel (FILA) na Farmácia, SMI e TB (paragem única)
  • Identificar e separar FILAS de faltosos e abandonos, em seguida efectuar o preenchimento no respectivo livro (faltosos e abandonos)
  • Apoiar a entrega diária de FILAS actualizados ao sector de digitação para actualização do e-PTS
  • Apoiar o registo de levantamento de ARVs dos pacientes de fluxo rápido na agenda
  • Apoiar o Técnico de Farmácia a registar o levantamento de ARVs no LRDA
  • Actualizar os levantamentos de ARVs nas FILAs de todos os membros dos GAAC
Ligação entre serviços
  • Fazer seguimento dos pacientes referenciados para Apoio Psicossocial
  • Participação regular em encontros multidisciplinares de coordenação do TARV
  • Colaborar para o bom andamento das actividades em equipa multidisciplinar
  • Identificar os recursos disponíveis na comunidade e estabelecer sistemas de referência e contra-referência de acordo com as necessidades identificadas e de acordo com a realidade onde actua (cuidados domiciliários, busca activa de faltoso/abandonos ao Serviço, visitas domiciliares, apoio alimentar, etc.)
Requisitos
  • 10ª Classe
  • Idade inferior a 35 anos
  • De preferência residente do distrito de Mueda
  • Fluência na língua portuguesa & língua local
  • Formação em aconselhamento em saúde e HIV
  • Habilidade para educação e aconselhamento em saúde assim como trabalho social
  • Boa capacidade de comunicação
  • Espírito de equipa, flexibilidade e diplomacia
Notas
  • Apenas candidatos pré-seleccionados serão contactados
  • Na Fundação Ariel as vagas não se pagam! Os recrutamentos são conduzidos observando estritamente os princípios de ética, integridade e transparência. A Fundação recomenda e encoraja vivamente a denúncia imediata de quaisquer actos contrários a estes princípios através dos seguintes números +258 84 839 8906 ou +258 84 839 8915
Como se Candidatar